Monday, January 19, 2009

Não Leiam Este Blog

Não sei mais qual é a vantagem de se ter um espaço na blogoesfera, ou melhor, até conheço algumas, mas não sei o quanto se aplicam ao meu conhecimento e meu modo de enxergar e lidar com o mundo ao meu redor. Sei, sim, que a grande maioria das vezes sinto como se não pudesse concordar com nada, e ao mesmo tempo concordar com quase tudo que leio entre os interlocutores, escritores e jornalistas aqui presentes. Não me enquadro na filosofia nacionalista estadunidense, e jamais me enquadrei na filosofia comunista brasileira.

Minha visita ao Brasil me fez entender duas coisas. A primeira, o excesso de bostas falando merda. A segunda, não conheci lugar onde a genialidade é tão exacerbada, tão perfeita, tão vasta, quanto no Brasil. Os personagens (sim, pessoas, mas personagens) que conheci nessa jornada de mês me trazem uma perspectiva nova, rica, exemplar à humanidade, e disso eu jamais abrirei mão. Estou estupefato quando vejo a loucura lúcida de uma gênia nuclear, de uma médica interiorina, de uma dentista conhecedora da arte e cultura universais, de um músico altivo maconheiro, de professores de história, poetas e beberrôes. Mais estupefato ainda com a existência de um japonês que me dá aulas sobre o judaísmo, e indignado perante a injustiça justa da obscuridão dessas figuras quase folclóricas a atravessar minha vida.

Mas eu sou apenas um tosco. Um judeu tosco, sem pátria, refugiado no mundo e com as benesses de ser mais cidadão do que muitos cidadãos em terras estrangeiras. O que me fez chegar à conclusão de que ler-me é impróprio. Sei pouco, mas luto muito pelo pouco que sei. Entendo quase nada, sinto-me envergonhado, mas murro o mundo a defender minhas verdades. Quanto mais cedo aceitar-me como sou, melhor será. Ninguém deixa de ser o que é, é meu maior aprendizado nesta terra brasileira.

Logo, não mais me recomendo. Não mais peço que me leiam. Não mais divulgo minhas idéias, ao menos até o dia em que eu tiver melhores ideias sobre as ideias que eu já tenho.

O nome do blog, que continuará, muda definitivamente a 2009. E não é uma jogada de marketting, juro pelo deus que descreio. É minha mais honesta e genuína recomendação:

NÃO LEIAM ESTE BLOG!
Aos abráx,

RF

3 comments:

Cris said...

É uma ordem? Vou desobedecer, sinto muito.
Antes de judeu, tosco, sem pátria e não recomendado, voce é o Roy. Simplesmente .Maravilhosamente.

Beijão. Pra Lilith também.

Roy Frenkiel said...

Cris, você é realmente doce. Talvez até por não ter discordade de mim muito nos últimos anos de nosso conhecimento, hehe. Não sou um monstro, você sabe disso, e acho que a maioria das pessoas que me leem sabem disso também. Mas ando um tanto quanto encucado com os acontecimentos no Oriente Médio. Descobri muitas coisas que me chateiam sobre a mídia brasileira, especificamente, e sobre pensadores do mundo todo. Mas também descobri que vivo em uma guerra muito maior comigo mesmo, por achar que não caibo na filosofia incompleta e dicotomica que tanto me acostumo a ler. E nesses dias de 2009 cheguei à conclusão de que, chato, certo ou errado, rejeito a maioria das palavras que leio. Isso me incomoda, mas ao mesmo tempo me estimula a aprender mais, a saber mais, e a contestar mais, com a mesma violência que sempre usei. Espero mesmo não me afastar do mundo, que muitos sejam como você, mas ao mesmo tempo sei que quando o tema é Israel, sinto-me mais só do que nunca, discordando de quase todos os lados. Conheci um japa ontem que me fascinou, uma espécie de alma gêmea de meu tio, que já é uma figura controversa o suficiente. E esse japa sabe mais sobre o holocausto do que eu, e definiu algumas de minhas virtudes de modo inusitado, com palavras que sem querer querendo me fizeram entrar em melhor contato com meu próprio ID.

O mais interessante é que eu não preciso ter certeza de que estou certo para defender minhas palavras toscas até o fim. E não consigo mais abstrair a controvérsia, seja ela qual for.

Nesses últimos dias li ditos como "se o Irã conquistasse armas nucleares a estabilidade da região seria conquistada". Pergunto-me: Para onde foi a lógica dos seres mais lógicos que conheci?

Contudo, sigo sim, e espero sair de mim para postar aqui um pouco da história de Israel nos próximos dias. Volto a Miami dia 26 (chego dia 27) e depois disso, estou quase certo, pasme, que volto ao Brasil a morar em BH. Quem diria...? Enfim. Que minhas incertezas forcem as certezas de outrem.

Obrigado pelas palavras doces, Cris. Mandarei um beijo teu à Lilith sem a menor das dúvidas.

Beijos!

RF

Lilith said...

Beijo mandado. Beijo lido. Beijo retribuído com carinho, Cris!
Obrigada!