Monday, June 09, 2008

Nova Temporada



A Clinton que todos queriam ver


Uma pequena tiragem do jornal The Miami Herald elogia o discurso da senadora Hillary Rodham Clinton, postulante à nomeação democrata forçada a ceder sua candidatura a Barack Hussein Obama, candidato presidencial oficializado por seu partido neste passado Sábado.

Após uma tarde ansiosa, Clinton trouxe sua campanha ao fim com toda a dignidade esperada. Na passada semana, depois da inevitabilidade dos números de Obama, a senadora sentou-se com o adversário a portas fechadas e discutiu seu futuro. Individada pela campanha falida, tendo colecionado bem menos do que o senador por Illinois ao seu campo, a política comum é previsível, e as condições da desistência oficial da senadora devem ser as esperadas.

Segundo a reportagem do Herald, Clinton podia ter concorrido com a personalidade que mostrou em seu último discurso. Falando sobre as conquistas femininas, Clinton disse:
“Não rompemos o vidro que nos separa do mundo masculino, mas inserimos nele 18 milhões de rachaduras.”

Além disso, pedindo à sua base eleitoral que ao menos concebam a idéia de votar por Obama em Novembro, Clinton mostrou seu lado mais humano e sincero, menos agressivo, menos calculado à vitória das eleições de sua vida. Afinal, a senadora foi a postulante que chegou mais longe na corrida à nomeação de seu partido, e poderia até ter vencido, caso tivesse se concentrado menos nos estados maiores e mais na América como um todo, ou caso não sentisse a constante necessidade de mostrar-se máscula, até mesmo violenta e imobilizada, para provar que pode ser Comandante Chefe das tropas estadunidenses em tempos de guerra.

Foi um final decente a alguém que parecia mais segura de si do que deveria, à candidata inevitável, e o partido Democrata encaminha-se às eleições gerais. O foco agora é em John McCain e Barack Obama


“Town Hall Debates”


Ao invés dos convencionais debates televisionados por emissoras escolhidas, geralmente intercalados debates em todas as emissoras de noticiários do país, John McCain sugeriu a Barack Obama que aceitasse dez encontros em “town halls”, assembléias populares em saguões abertos ao público e suas questões.

Em uma dessas assembléias McCain fez o comentário infeliz de que deixaria as tropas da nação no Iraque por “cem anos, caso assim for necessário, e desde que soldados não estejam sendo frequentemente atacados e em constante perigo”. Obama demorou para realmente aprender a debater contra Clinton, mesmo tendo sua pior marca no último encontro televisionado.

Nesse estilo diferenciado de se debater, os candidatos aparecerão em todos os canais ao mesmo tempo: CNN, MSNBC, ABC, NBC, Fox News, e assim por diante. O público ganha por não precisar se preocupar com o ângulo de cada emissora. Há apenas um teatro cujos mistérios precisam ser solucionados, e esse pertence apenas aos candidatos.

(Por hoje é só, mais detalhes a seguir.)

RF

1 comment:

Lilith said...

Incrivel como Hillary agora,fora da disputa principal no partido,pareça, finalmente, "apenas uma mulher". E como isso faz bem a ela! Que sirva de liçao para as proximas empreitadas dela e para as nossas proprias. Tomara que Obama, ainda na disputa, nao se torne "menos negro" para ganhar votos...