Saturday, January 19, 2008

O Próximo Porteiro

A quem repare no título novo deste blogue, a explicação devida:

Minha febre aumenta a cada dia, e enquanto não enjoar, não vejo como 2008 pode trazer algo mais importante e melhor a treinar do que as eleições históricas determinantes em Novembro.

Portanto, a escolha do Próximo Porteiro do governo dos Estados Unidos será o tema que mais pretendo discutir por aqui.

Opinem

Aos poucos leitores, o pedido sincero de uma opinião elaborada:

As eleições nos Estados Unidos interessam? Interessam ao Brasil? Se sim, como? Se não, por quê?

Próximo Porteiro

Aprendi que, pelo menos nos Estados Unidos, com tantas regras complexas para tornar as eleições quanto mais democráticas e ao mesmo tempo tornando-as confusas o suficiente para que um presidente que não foi eleito pela maioria do país seja o próximo ao cargo, o presidente de fato acaba tendo pouco a ver com o que ocorre.

Claro que a pressão presidencial e a atitude de ao menos tentar combater a favoritismo e o corporativismo que substituiu um capitalismo já duvidoso há décadas, ajudaria. Claro que um presidente sagaz e eficiente não se compara muito bem à imagem de Bush, e francamente nem à de Ronald Reagan, ou H. W. Bush, ou Nixon, e assim por diante. Pois, mesmo assim, um presidente ainda é mais ou menos um porteiro, postado à guarita do governo, em uma casa branca e luxuosa, que se saqueada ninguém melhor a culpar e responsabilizar do que o porteiro.

Aqui então apresento o tema de 2008:

A Escolha do Próximo Porteiro

RF

3 comments:

Jens said...

Vamos nessa, Roy. É claro que o assunto interessa. Afinal estamos falando das eleições no império. Como se sabe, tudo o que acontece na matriz gera reflexos na filial.
Manda bala!
Um abraço.
***
PS: Retomamos os negócios lá no botequim.

Cris said...

O assunto interessa, claro , não só pelas conseqüências políticas diretas e indiretas nas outras nações , mas por ser uma disputa, digamos,"exótica", entre candidatos tão diferentes.
Citei vc lá do outro lado quando mencionei a "Dona" Hillary..
Bj.

Halem Souza (Quelemém) said...

Mas é claro que interessa! Trata-se da nação mais poderosa e influente do mundo e no momento em que ela realiza eleições, é melhor estar bem informado. Pau na máquina, meu jovem!