Monday, July 14, 2008

Excelente Vizinhança



Não me considero bom vizinho por alguns motivos que tampouco matam caráter de ninguém, mas não me tornam o que chamo, o que considero, o que classifico de “bom vizinho”. Primeiro, porque apesar de sempre comentar nas casas de quem gosto de comentar, não menciono novas adesões à barra do “Eixo do Bem”, nem às outras criadas, não pergunto nem peço nada de ninguém, não elogio ninguém (quase nunca) abertamente, e poucas vezes acrescento referências locais. Talvez antes tenha feito melhor esse papel, mas hoje em dia sinto que, ao contrário da maioria que por aqui frequenta, tenho um espaço diferente do contexto dos blogs de brasileiros ou portugueses, leitores e escritores do idioma Português. Um blog meio sem nexo, de certo modo, no contexto cultural do idioma dominado.

Para mim, quando uma elite premia uma elite, não há verdadeira premiação. Quando um grupo masturba o outro, o que há, é realmente apenas a masturbação simbiótica dos próprios egos. Mas receber selos e carinhos verbais de amigos blogueiros, virtuais, não me recuso a aceitar porque faz bem, e porque é importante a qualquer pessoa que se esforça, ou simplesmente pretende expressar algo e requer confiança de estranhos por desconhecidos. Mais do que elogiar o conteúdo do blog, faz com que leitores novos, ao abrir essas páginas, saibam que outras pessoas já leram e aprovaram vossa casa, assim podendo chegar-se com mais vontade. Ou, ao menos, investigar o nicho de pessoas que se recomendam, trocando idéias, opiniões e comentários, respeitosamente, em um fórum expansivo virtual.

Enfim, se há motivos para sentir-me pseudo-nobre e rejeitar os selos, assim abstendo-me de receber críticas às quais Woody Allen decidiu não precisar mais dar ouvidos, e abstendo-me de premiar meus companheiros, há melhores motivos para dar sentido e rosto à família “blogal” à qual pertencemos por pura escolha. Ninguém escreve nada apenas para si, e quando o faz, não publica.

Quanto a premiar os blogues que leio, posso salientar aqui neste espaço que a maioria dos que se encontram no “Eixo do Bem” partem dos melhores princípios, a liberdade de expressão, o pitaco bem informado, especialidades vastas, macro, micro, bom humor, inteligência argumentativa, informação, ideologia, intelecto, e a lista poderia continuar em minuciosos detalhes, mas paramos por aqui. O que quero dizer é que quando estão aí linkados, também estão selados e seladas divas, caudilhos, melhor qualidade, e recebem todos os elogios que vejo carinhosamente trocados pela inter-blogalidade-mundial de nossas redes comuns.

Portanto, obrigado Lola, pelo novo selo, e obrigado Jens, pelo velho selo. Sintam-se selados, todos “daí do lado” pelo mal vizinho. Que sirva como política de excelente vizinhança!

Aos abráx,

RF

7 comments:

Jens said...

Oi Roy.
Não vou dizer que mereces o selo, porque podes confundir com masturbação e eu não taura de masturbar ninguém (do sexo masculino, of course).
***
Andei meio desligado do noticiário nos últimos dias (porra, acho que só sei me informar através das net), mas hoje tomei conhecimento da sacanagem da New Yorker, que publicou na capa (se a memória não falha) uma charge do Obama e da dona Obama travestidos de terroristas. Soube também da cagada do Jesse Jackson que me meteu o pau (metaforicamente) no Obama durante o intervalo de uma entrevista na Fox. Ambas empresas são do direitista Rupert Murdoch, confere? Isto confirma que tanto aí, como aqui, a política não é um ofício para homens de espírito delicado e refinado como eu. Ainda prefiro as mulheres.
***
Pois é, voltei. Mais doido do que antes, mas ainda um guasca.
Um abraço.

R.C said...

Jens, o Wall Street Journal tambem eh do Murdoch, o que nao diminui sua qualidade. Ouvi muito pouco a respeito dessa capa, mas pelo contexto, foi uma satira, e nao com o intuito de propagar a imagem de Obama como muculmano, mas sim, para conferir a estupidez da nacao em confundi-lo com um muculmano. Automaticamente, defensores de Obama e agentes midiaticos (mesmo conservadores, claro), disseram que a capa foi de mau gosto. Da minha parte, toda satira eh bem vinda, sempre. Claro que o cartunista ou o New Yorker nao tiveram a intencao de machucar a imagem de Obama, e eh claro que isso foi algo do estilo tabloide para vender jornal. Eles sabiam que se machucariam, e mesmo assim fizeram. Sabe por que? Pelo mesmo motivo que cartunistas da Dinamarca e Holanda zoaram com a imagem de Maome, seja como seja. Liberdade de expressao. Nunca se pode criticar esse impeto, nao acha?

Quanto a Jackson, puro ciume, puro ciume :P

abraxao

RF

PS: vc mais doido do que antes eh redundancia. Voce sempre eh mais doido do que antes. Por isso te amamos.

R.C said...

PS2: Adoro o New Yorker, apesar de pesar a algum conservadorismo, tambem ha liberais, e sabem o que escrevem em boa parte, mais ou igual a qualquer outro bom periodico.

CRIS said...

Parabéns pelo selo, velho mal vizinho.
Uma coisa é fatal : é de coração . A Lola é ótima.

beijão.

Lola said...

Como � exagerado, este menino!!!

Quanto aos elogios, voc� nunca os deixou de dar para mat�rias que gostou "na minha casa", n�o tenho o que reclamar. Quanto a ser mau vizinho...Bom, voc� nunca me trouxe um bolo, � bem verdade! :)
Quanto aos selos, no in�cio tamb�m relutei em colocar no blog, a linha que "pretendia" seguir era outra. N�o queria participar de um grupo de bate-papo, mas, tentar colocar um pouco de consci�ncia nesse mundo... Por�m, percebi que a cada pr�mio, selo ou elogio que eu recebia, era uma forma de que pessoas estavam tomando consci�ncia do que eu tentava passar... O blog estava sim, cumprindo o papel a que veio, mesmo saindo um pouco da "linha" que eu pretendia seguir...

O "Consci�ncia" n�o � um blog pessoal, mas um blog feito para tentar conscientizar,informar e interagir, por isso, aprendi o verdadeiro valor dos amigos virtuais, principalmente nas horas em que estava cansada...

N�o gosto de responder memes, n�o gosto de falar da minha vida pessoal, como respondi em um meme, porque n�o � a finalidade do blog.
Mas, agora, a cada selinho que recebo, percebo e sinto que estou conseguindo, pelo menos um pouco, passar as mensagens que pretendo.
Percebi que coisas as quais achava pequenas, mostram-me grandes coisas, o alcance de um objetivo!

Xi,falei demais :)...

Um beijo,bom vizinho!

Lola said...

PS: Não há o que agradecer, gosto da forma que escreve...

Taís Luso de Carvalho said...

Oi, Roy!
Lincar alguém já é uma enorme deferência, a não ser que seja apenas linkar por linkar; linkar o maior número possível de blogs. Acho errado. Linko o que acho interessante e que tenha conteúdo. Hoje acho que a maioria está mais seletiva tanto em linkar como em comentar. Gostei do texto, mesmo porque quando nos propomos a dizer algo, alguma consistência tem de ter, alguma opinião relevante temos de deixar. És um bom vizinho, sim.

Abraços!
Tais