Wednesday, August 01, 2007

Farsa do Aquecimento Global Parte 5 de 5 - Final

Décimo-Segundo argumento: Alguns cientistas ainda dizem que há uma queda de temperatura nas camadas superiores da atmosfera.

Mais um contra-argumento já feito. Okay, há uma queda das temperaturas registradas nas camadas superiores da atmosfera. O que, então, gera o aquecimento global? Logo dirão que são os ambientalistas...

Daqui em diante, o documentário centraliza-se na figura de Al Gore. Trata de seu perfil, de seu lobby e de seu poder, de sua influência no senado, de sua enorme ganância política e tudo que já ouvimos falar de todo e qualquer político. Os argumentos e contra-argumentos nos bastam. Quem assiste “The Great Global Warming Swindle,” ou, em Português, “A Grande Farsa do Aquecimento Global” provavelmente assume uma posição imediata de dúvida. Isso se deve à boa locução dos argumentos, mesmo que apenas um ataca nossa questão central, o primeiro. O restante basicamente detalha tecnicalidades sem atacar, necessariamente, a questão central e ainda se opõem a um movimento político com outros ideais políticos, os quais nem direi que são “errados” porque não acredito nesse termo, mas que são, afinal, políticos também. Isso se chama sofismo, de ambos os filmes. Argumentos bem apresentados a fins de convencer, não ilustrar ou procurar a verdade.

Assim, Quem tiver inclinações anti-esquerdistas, algo comum até mesmo no Brasil, pasmem... Vejamos:

A esquerda ainda representa o protesto mais ferrenho ao consumismo frenético e industrialismo massivo – esse dos benefícios às massas que acabariam, talvez, trazendo-lhes também a mais fatal das desgraças. Quem acreditar que a esquerda, em sua essência, trata-se de algo diferente disso... Quem se inclinar a pensar que o capital e o mercado realmente são nossos maiores valores como sociedade... Quem se arriscar a pensar que não há como sustentar uma nação de empregos e verbas e recursos humanos e infra-estrutura sem recorrer a esse estúpido capitalismo praticado por selvagens... Quem corretamente pensar que Gore ganha com isso e que alguém sempre ganha mais do que os outros e, erroneamente, chegar à desafortunada conclusão de que não há a menor esperança a que “as coisas mudem”... Os desilusionados traumatizados de Lula (porque ousaram confiar em um político)... Os que sempre o odiaram... Os que demonizam Chávez enquanto existe um Bush (que não se comparam, como Churchill e Hitler, ambos fodedores gerais do planetinha das baratas humanas), e que rezam pela morte de Castro enquanto existe Darfur, amarão esse documentário! Talvez até passem a viver a negação de nossas insignificantes – cada vez mais insignificantes – vidas nesse nosso planetinha das baratas humanas, que somos nós, com maior requinte, confiando nas benesses do capital e do mercado, acreditando que estamos bem enquanto todos tiverem a possibilidade de conquistar sua fatia nesse bolo ocidental. Mas quem são todos?

Todos os propietários... E sim, ainda, em grande parte, homens e homens brancos.

Al Gore é um político. Todo político se beneficia de uma “boa campanha.” Isso não é nenhuma novidade. Ninguém pode, em sã consciência, confiar nas palavras de um político. Seu filme é uma catástrofe, de certo modo, porque apenas ele aparece discursando, enquanto deveria dar voz aos cientistas, professores e até mesmo alunos das matérias relacionadas à ecologia. Tendo dito isso, pergunto:

Será que Al Gore tem todo esse cacife? Será que a oposição não prova, há oito anos, incluindo o próprio roubo explícito de sua eleição, que tem muito mais força do que ele? Pesquisem, é fácil:

Quem tem o maior número de lobbistas no congresso estadunidense? Uma dica: Soa com ra-tá-tá... Depois, acompanhem as porcentagens e vejam onde estão os lobbistas de Gore. Há de se pesquisar, seria interessante descobrir que muitas multinacionais estão, de algum modo ou outro, em seu nome, porque apenas elas são realmente bem representadas nesses espaços. E isso não é novidade. EU é a encarnação explícita do capitalismo, enquanto nunca houve um digno representante massivo do socialismo. Adam Smith foi gente fina. O que move a dita República é o capital e o mercado. Não estaria na hora de trocar de combustível? Reforma energética...

Quanto ao ambientalismo, sugiro que todos se informem, pessoalmente, antes de opinar. O movimento e seu significado, e as teses cientificas que o apoiam não são mitídicas. Vale a pena procurar saber a verdade, custe o que custar. Boa sorte! Além disso:

Há dinheiro a se fazer em alimentos orgânicos, plantações de cana-de-açúcar, lâmpadas ecológicas, carros elétricos (ou energia nuclear, obviamente) etc. Quem se achar esperto, ou melhor, quem puder se dar o luxo, explorará consumidores cobrando preços altíssimos por produtos que deveriam ser mais baratos. Também, explorará o pânico do público e forçará compras massivas de água mineral e fita-crepe, como acrescentou meu amigo Plattek. Isso faz parte da Indústria, e nunca se esqueçam disso!

Fim da série sobre A Farsa do Aquecimento Global.

2 comments:

ACANTHA said...

Farei isso, ROY. Vou me informar melhor antes de opinar. Mas gosto de séries como essa: me esclarecem. Ou, no mínimo, me fazem pensar.
Bjks.

Moita said...

Roy

Existem problemas, mas existem muito exagero e manipulação. É preciso dosar.

Abraços